Autor

Categorias

Últimas Linhas

Arquivo

Maio 2011
S T Q Q S S D
« Abr    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Twitter

GRANDES EVENTOS

A poucas horas de ser conhecido o segundo finalista português para a Liga Europa, importa reflectir sobre três questões que considero relevantes.
A 22ª edição do Estoril Open decorreu com a qualidade organizativa que caracteriza os eventos com a marca João Lagos.
A edição deste ano foi condicionada pela crise económica e condições climatéricas, chuva e vento.
Juan Martin del Potro foi o vencedor enquanto Frederico Gil foi o português que mais se destacou.
O complexo desportivo do Jamor serviu de palco, uma vez mais, para a realização do evento que ultrapassa a vertente desportiva, pois é também um lugar social e um óptimo centro de negócios.
Ali ao lado no Autódromo do Estoril realizou-se mais um Grande Prémio de Portugal em Moto GP que atraiu milhares de espectadores, com especial destaque para a invasão espanhola que viu Dani Pedrosa vencer pela primeira vez no Estoril.
Outro piloto que merece destaque é Miguel Oliveira. No seu país mostrou que podemos contar com ele. É jovem, determinado e gosta de desafios.
Espero que possa voltar a competir no Estoril a este nível, é sinal que a DORNA – superiormente orientada por Carmelo Ezpeleta – volta a escolher Portugal por mais três anos para a realização do Moto GP no circuito do Estoril bem gerido pelo Domingos Piedade. Miguel Oliveira e Frederico Gil brilharam em eventos desportivos internacionais que infelizmente coincidiram nas datas. Para o ano não devia acontecer pois condiciona o fim-de-semana desportivo.
Quem já não está condicionada é a direcção da F.P.F. que viu a Assembleia Geral aprovar finalmente os novos estatutos, devolvendo a legalidade que tanta falta fazia. Arrumada a casa, espera-se uma posição de Gilberto Madail relativa à recandidatura e sobre a marcação do acto eleitoral.
Tanto tempo… para quê? Mas mais vale tarde que nunca.

 

Pontapé-de-saída, A Bola, 03/05/2011


1 comentário 04 de Maio de 2011

Que rica troika…

Na final da Liga Europa em Dublin a língua oficial vai ser a de Camões. Um momento histórico para o futebol português. A 18 de Maio em Dublin só se vai falar português.
Um F.C. Porto soberbo afundou completamente o submarino amarelo. O Villarreal ainda marcou primeiro mas o F.C. Porto não se deixou impressionar e mostrou de forma clara e inequívoca o porquê de ter conquistado o título. Espantosa a exibição do F.C. Porto em geral e de Falcão em particular. O melhor marcador da Liga Europa tem realizado exibições memoráveis, um activo em crescente valorização.
Emoção não vai faltar. No estádio AXA o Braga vai tentar fazer história chegando pela primeira vez a uma final europeia. Nesta eliminatória está tudo em aberto. A ligeira vantagem do Benfica pode não chegar para garantir a passagem à final. Na primeira parte desta eliminatória tivemos um Benfica nervoso contra um Braga inteligente.
Mesmo estando no intervalo os adeptos portistas já podem marcar viagem e comprar o bilhete para Dublin.
Foi um F.C. Porto demolidor que transformou o Villarreal numa equipa banal com o intervalo a servir para o técnico André Villas-Boas reposicionar as peças e um Falcão super-inspirado fez o resto.
Enquanto o F.C. Porto já pode preparar a final, Benfica e Braga terão que trabalhar afincadamente para carimbarem o passaporte. Passará quem falhar menos.
Os guerreiros do Minho contarão com forte apoio nas bancadas, mas o Benfica está habituado a jogar em ambientes escaldantes, ou seja tudo em aberto.
Enquanto a troika olha desconfiada para a situação económica do país, o nosso futebol marca pontos na Europa.
Economicamente pedimos apoio à Europa, no futebol lideramos a Liga Europa, alcançando a proeza histórica de ter dois clubes portugueses na final de Dublin.
Parabéns, Portugal.

Pontapé-de-saída, A Bola, 02/05/2011


2 comentários 02 de Maio de 2011