Autor

Categorias

Últimas Linhas

Arquivo

Julho 2008
S T Q Q S S D
« Jun   Ago »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

APROVAÇÃO DA LACTOGAL

O Governo acabou de aprovar o contrato de investimento relativo à construção da nova unidade industrial da Lactogal em Oliveira de Azeméis.
Falamos de um investimento de 48 milhões de euros que deverá criar 160 postos de trabalho.
Com este investimento, o valor mínimo anual de vendas de queijo curado será de 8314 toneladas em 2010.
Oliveira de Azeméis na rota do progresso e desenvolvimento, captando investimento privado e contando com a colaboração(aprovação do projecto)do governo socialista de José Sócrates apesar dos protestos do PS local.
Uma boa notícia nos tempos que correm. 

31 de Julho de 2008 pelas 16:21

Arquivado em: Política

9 comentários Adicionar agora

  • 1. António Correia  |  31 de Julho de 2008 pelas 17:04

    Espero que a Lactogal assuma a importância no concelho que outros tempos a Proleite teve.

  • 2. Manuel da Costa  |  01 de Agosto de 2008 pelas 03:49

    Oliveira de Azeméis precisa de muitos mais investimentos, estruturados e sustentados.

  • 3. Helder Simões  |  01 de Agosto de 2008 pelas 11:57

    O investimento em causa é benéfico para o concelho mas não deve ser por isso que deve ser encarado sem equacionar as melhores soluções e a melhor solução seria, efectivamente, localizar o investimento num local apropriado, o que não é o caso e por mais que se esforcem, não vão convencer as populações que uma unidade fabril para produção de queijos esteja bem localizada quando tem mais de 100 mil m2 de área a escassos metros do centro da cidade.
    A única discordância foi em termos de localização e quanto a essa, depois de aprovada pela Câmara Municipal, o Governo apenas se limita a confirmar e apoiar o investimento em causa.

  • 4. João Soares  |  02 de Agosto de 2008 pelas 12:53

    Concordo com a captação deste investimento para o concelho, questiono apenas se a sua localização não seria benéfica numa zona mais peirférica da cidade, talvez até numa freguesia do concelho já que não podemos criticar só o centralismo do governo deste pais, também temos de começar pelos nossos ´´quintaizinhos“.

  • 5. Pedro Costa  |  04 de Agosto de 2008 pelas 10:37

    As pessoas esquecem que a Lactogal possui há muitos anos etar’s no sittio onde está a fazer a nova fábrica e que pretendia aproveitar as sinergias desse investimento.
    Já percebemos que o Hélder Simões deixaria fugir este investimento para outro concelho apenas para que não ficasse “a escassos metros da cidade”.
    Aliás para o Hélder Simões esse é um argumento válido para obstar todo o investimento exterior: o Staples está no centro e não devia, o shoping vai estar no centro e não devia.
    Eu sei que é aborrecido para a oposição ver investidores privados contradizer a teoria do caos que a oposição quer a toda a força impôr. Felizmente para Oliveira de Azeméis a realidade é bem diferente daquela que querem pintar.

  • 6. Helder Simões  |  04 de Agosto de 2008 pelas 15:58

    Caro Pedro Costa,

    Aconselho-o a dar uma volta pelas imediações da ETAR da Lactogal e também lhe posso fornecer umas notícias sobre o funcionamento da Lactogal junto à Povoa do Varzim para perceber do que falo.
    O que não entendo é que a Lactogal tenha adquirido terrenos em Loureiro, terrenos esses que o Presidente da CMOA justificou como sendo para a deslocalização da actual fábrica e depois não só não se desloca a existente como ainda amplia.
    A justificação da criação de emprego é incipiente porque na sua maioria vai absorver os postos de trabalhos das duas unidades que encerram - Sever do Vouga e Avintes.
    Quanto ao Staples, mantenho a minha opinião que a sua localização é incorrecta e olhe que não era dificil encontrar outros locais próximos - junto do Modelo, p.e.
    O shooping, a ver vamos, tanto não é o local ideal que o PDM não permite que o mesmo deja edificado e vai ter que ser alterado - pelo menos o PU - para que o mesmo possa vir a ser construído e se o mesmo não tiver pronto a funcionar em 2012, o anterior proprietário fica com o dinheiro do terreno e o terreno reverte para ele com todas as benfeitorias nele edificadas. Que tal?

  • 7. Pedro Costa  |  06 de Agosto de 2008 pelas 10:15

    És um iluminado!

  • 8. joao paulo  |  03 de Abril de 2009 pelas 00:00

    afinal o sr Helder Simões tinha razao um iluminado pareces tu Pedro Costa

  • 9. A.Oliveira  |  14 de Julho de 2009 pelas 16:24

    Aos comentários acima descritos, só tenho a dizer uma coisa, o cheiro a merda e a queijo podre, e o barulho infernal que os moradores estão sujeitos, são a realidade actual.
    Nós já cá estavamos.
    A poluíção sonora e ambiental é um facto.
    Quem tem razão?
    O pseudo político A ou o B ?
    Certamente os defensores não habitam na zona, e ao defender a sua localização, estão a ver se conseguem alguns dos tachos que estão em jogo.

Deixe o seu comentário

Obrigatório

Obrigatório

Código HTML permitido:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <code> <em> <i> <strike> <strong>