Autor

Categorias

Últimas Linhas

Arquivo

Outubro 2006
S T Q Q S S D
« Set   Nov »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

O JARDIM DE SÓCRATES

A tensão entre Alberto João Jardim e o Primeiro-Ministro cresce hora a hora. Por muito injusta que seja a Lei das Finanças Regionais, entendo que o respeito institucional nunca deverá ser posto em causa. Sócrates preparou ao minuto esta estadia na Madeira. Depois da mega-manifestação dos professores em Lisboa, José Sócrates precisava de mostrar autoridade.

Para isso nada melhor que  afrontar João Jardim.

Desta forma e com estas atitudes, o governo socialista perde pontos na Madeira, mas está a somar pontos no Continente.

Na contabilidade  política, Sócrates deve estar contente, pois isto é "dinheiro em caixa". 

09 de Outubro de 2006 pelas 23:14

Arquivado em: Política

3 comentários Adicionar agora

  • 1. José Sousa  |  10 de Outubro de 2006 pelas 08:10

    Também entendo que o respeito institucional não deverá ser posto em causa.
    Não será sido falta de respeito institucional o Presidente do Governo Regional da Madeira designar o Primeiro Ministro por Sr. Sócrates e o Ministro das Finanças por Sr. Santos?
    Não terá sido falta de respeito ter chamado Sr. Silva ao actual Presidente da República, sendo, na altura, o Prof. Cavaco Silva um potencial candidato?
    Não será falta de respeito para com os prtugueses quando nos designa, a todos, por cubanos e colonizadores?
    O que o Dr. Alberto João Jardim precisa é de tomar bastante chá e, mesmo assim, penso que já não irá a tempo.
    Talvez queira é a independência e não a autonomia. Se forem ouvidos os portugueses saberão dar-lhe a resposta.

  • 2. Silvia Cordeiro  |  10 de Outubro de 2006 pelas 16:52

    Goste-se ou não de Alberto João ele tem uma coisa de que Sócrates não se pode orgulhar: trabalho feito.
    Não gosto do estilo mas ele defende a Madeira com unhas e dentes e desenvolveu-a de forma exemplar.
    Eu orgulho-me do trabalho feito na Madeira e não posso dizer o mesmo no que ao continente diz respeito.
    Esta ida de Sócrates ao arquipelago é, no fundo, o reconhecimento do Primeiro-Ministro de que o PS ainda não tem a ambição de conquistar aquela região autónoma. Mas, como diz o autor do blogue, “soma pontos no continente”.

  • 3. Joaquim Oliveira  |  11 de Outubro de 2006 pelas 19:34

    Alberto João com trabalho feito?
    O meu primo também… à custa dos dinheiros europeus.

Deixe o seu comentário

Obrigatório

Obrigatório

Código HTML permitido:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <code> <em> <i> <strike> <strong>