Autor

Categorias

Últimas Linhas

Arquivo

Janeiro 2006
S T Q Q S S D
« Dez   Fev »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

DISCURSO DE ESTADO

Cavaco Silva fez um discurso de estado quando usou da palavra no final da noite eleitoral.

"A minha vitória não é a derrota de ninguém" e serei o "presidente de todos os portugueses".

Mais frente disse estar "atento" e que " as pessoas são o centro da minha atenção".

Apelou ao valor da "estabilidade" nos momentos de dificuldade.

Disse que vai "procurar consensos alargados" e que vai "saber ouvir".

Terminou a dizer que " tenho orgulho no meu País". Eu acrescento, também eu.

Não ouvi hoje o Ministro Santos Silva a falar sobre o "golpe estado constitucional".

Já passaram alguns dias e ainda não o vi a dizer que foi um excesso.


Adicionar comentário 23 de Janeiro de 2006

CAVACO MAIOR

Cavaco Silva escreve mais uma vez o seu nome na história de Portugal.

Vence inequivocamente as eleições para Presidente da República, logo primeira volta.

Pela primeira vez um Presidente da República do centro direita é eleito.

Estes resultados são uma derrota de Mário Soares, do PS e consequentemente do seu secretário geral Engº José Sócrates.

Manuel Alegre "contra ventos e marés" alcançou um resultado histórico. Sem apoio da máquina partidária, com a hostilidade dos membros do governo que ostensivamente apoiaram Mário Soares, vai ter seguramente o seu espaço próprio dentro do PS. É inevitável.

Foi um candidato abandonado e desprezado pelo PS e pelos seus principais dirigentes.

Manuel Alegre não vai desperdiçar esta expressiva votação.

Jerónimo de Sousa consolidou o seu trajecto dentro do Partido Comunista e venceu de forma clara e inequivoca o campeonato da esquerda vencendo o convencido Francisco Louçã.

Em nota de rodapé não posso deixar de fazer uma referência atitude no minimo desilegante do Srº Primeiro Ministro e secretário geral do PS, relativo ao timing escolhido para entrar em directo nas televisões, no preciso momento em que o militante do seu partido Manuel Alegre falava ao País. Demonstrativo do desconforto socialista.


Adicionar comentário 23 de Janeiro de 2006